Desastres naturais: por que temos notado uma quantidade cada vez maior?

Desastres naturais: por que temos notado uma quantidade cada vez maior?

A ocorrência de desastres naturais está cada vez mais frequente. E embora esses fenômenos representem uma mudança de ciclo e parte da própria dinâmica da Terra, o aumento na frequência com a qual eles ocorrem não é algo normal. São muitos os estudos e estatísticas que demonstram como as mudanças climáticas são determinantes para esse cenário atual. Entenda o que são os desastres naturais, como eles são classificados e o porquê deles estarem acontecendo com mais frequência e intensidade nesse conteúdo da GreenView.

O que são desastres naturais?

Os desastres naturais são os eventos resultantes de fenômenos naturais que fazem parte da geodinâmica do planeta e, geralmente, trazem graves consequências para a população. Os impactos provocados são de ordem material, financeira e emocional, já que um desastre natural pode ser o responsável pela perda de vidas. Alguns desastres naturais podem ser previstos por meio da tecnologia e da meteorologia, mas outros não.

Os desastres naturais podem ser biológicos; geofísicos, climatológicos, hidrológicos e meteorológicos. Conheça os principais tipos e em que categoria eles estão enquadrados:

• Tempestades: esse desastre natural meteorológico consiste na ocorrência de tempestades de chuvas, neve, granizo, areia e raios que podem destruir cidades inteiras. Dependendo da quantidade de chuva e da intensidade, elas causam deslizamento de terras, queda de árvores ou torres de energia, por exemplo;

• Furacões e ciclones: são fenômenos causados pela movimentação de massas de ar e podem acarretar sérias consequências, destruindo grandes áreas;

• Terremotos e tsunamis: também conhecidos como abalos sísmicos, o terremoto costuma ser provocado pela movimentação das placas tectônicas, pela atividade vulcânica e pelos deslocamentos de gases no interior da Terra. A superfície acaba vibrando de uma maneira intensa e brusca, algo que acarreta danos como o desabamento de prédios. Já os tsunamis são um tipo de terremoto que acontece pela atividade tectônica em áreas oceânicas e desloca grandes quantidades de água, o que gera inundações;

• Secas: agravada pelas mudanças climáticas, as secas hoje atingem grandes áreas do globo e com mais intensidade. Dessa forma, o processo de desertificação é expandido, afetando diretamente a produção de alimentos;

• Inundações: são desastres naturais que podem ser intensificados pela ação antrópica. Quando a população joga lixo em locais inapropriados acaba ajudando a entupir bueiros e assorear rios;

• Entre outros.

Desastres naturais se tornam mais recorrentes

São muitos os estudos e cientistas que vêm apontando que a maior ocorrência de desastres naturais no planeta é uma consequência direta do aquecimento global. Isso porque os gases oriundos da queima de combustíveis fósseis e o desmatamento, por exemplo, são fontes de emissão de gases que intensificam o efeito estufa. Dessa forma, é ocasionado um aumento da temperatura média dos oceanos e da atmosfera da Terra, o que contribui para a elevação do nível do mar, mudanças nas correntes marinhas, alterações na composição química da água, entre outros aspectos importantes. Em resumo, todos os ciclos naturais do planeta são afetados.

Segundo um levantamento divulgado em fevereiro pela Folha de S. Paulo, cerca de 116 milhões de brasileiros foram afetados por desastres naturais desde 1902. O estudo foi feito pela empresa britânica de energia Uswitch e abrangeu um período que vai de 1902 a 2021. A companhia aponta que constavam na base de dados mais de 15 mil desastres.Desses, 251 ocorreram no Brasil e causaram a morte de cerca de 13 mil pessoas. A maior parte (154) dos desastres no Brasil são enchentes, seguidas de longe por deslizamentos (25), que são geralmente relacionados a chuvas.

Os desastres naturais são diversos e afetam países em todos os continentes. Quem não se lembra das recentes ondas de calor recorde no Hemisfério Norte ou das enchentes que mataram centenas na Europa Oriental? O Iraque chegou a registrar temperaturas de mais de 50 ºC, enquanto a província de Henan, no centro da China, sofreu com fortes chuvas que obrigaram 200 mil habitantes a deixarem as suas casas.

Viu como é urgente que governos, empresas e cidadãos se unam em um esforço coletivo pela sustentabilidade? Assim, nós estamos respeitando a natureza e atuando para diminuir a ocorrência de desastres naturais! Saiba como fazer parte dessa transformação com a GreenView.

Entre já em contato conosco e conheça nossos serviços.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Agende uma Ligação!

Preencha o formulário ao lado e entraremos em contato para falar sobre como podemos lhe auxiliar: