Sustentabilidade

Saiba mais sobre Sustentabilidade Ambiental e ações para o seu empreendimento

Sustentabilidade

desenvolvimento sustentável | greenview

Sustentabilidade é o uso dos recursos naturais de maneira ambientalmente responsável, socialmente justa e economicamente viável, de forma que o atendimento às necessidades atuais não comprometa a possibilidade de alcance e utilização no futuro.

Para a sobrevivência das organizações nos dias atuais, é vital ter uma política ambiental que contemple fontes limpas de energia, controle de descarte de materiais e redução da exploração de recursos naturais por meio de políticas como reciclagem e reutilização, não somente para se resguardar de multas, mas também — e muito
importante — para conservar sua imagem perante a comunidade, livrando-se até de
desgastes e boicotes.

O termo sustentabilidade ambiental não é moda. É necessidade. A sociedade está cada vez mais consciente e empenhada em garantir que as empresas causem o mínimo de impacto possível à natureza. Veja abaixo tudo o que oferecemos para que sua organização alcance o desenvolvimento sustentável adequado:

 

A sigla ESG significa “Environmental, Social e Governance” e se refere aos três fatores principais ao medir a sustentabilidade e o impacto ético de um investimento em um negócio ou empresa. A maioria dos investidores socialmente responsáveis faz “check-out” das empresas usando os critérios ESG para rastrear os investimentos.

É uma abordagem utilizada no mercado de capitais e comumente usada pelos investidores para avaliar o comportamento das empresas, bem como determinar seu desempenho financeiro futuro.

Os fatores ambientais, sociais e de governança, tratam-se de um subconjunto de indicadores de desempenho, não financeiro, que incluem questões éticas, sustentáveis e de governança corporativa, de forma a garantir a existência de sistemas para garantir a responsabilidade e gerenciar a pegada de carbono da corporação.

Podemos ajudá-los a elaborar Relatórios de Sustentabilidade, atendendo às diretrizes do Global Reporting Initiative Standards (GRI). O modelo de relatório GRI Standards é amplamente utilizado no mundo e resumidamente relata os impactos (positivos e negativos) das atividades da empresa ao meio ambiente, sociedade e economia, e apresenta os compromissos e ações de melhoria. 

Conte com a nossa experiência também para acompanhar sua organização no cumprimento das metas estipuladas no Relatório de Sustentabilidade.

O Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa é um relatório produzido após um estudo quantitativo da emissão dessas substâncias em uma organização, considerando seu atual cenário de funcionamento.

Segundo o Protocolo de Quioto, deve ser monitorada a concentração dos seguintes gases de efeito estufa: dióxido de carbono (CO2), metano (CH4), óxido nitroso (N2O), hexidroxilsulfúrico (SF6), hidrofluorocarbonos (HFC), perfluorocarbonos (PFC) e o trifluoreto de nitrogênio (NF3).

Elaboramos o Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) atendendo a todos os requisitos da ABNT NBR ISO 14064-1.

A Avaliação do Ciclo de Vida (AVC), resumidamente, verifica o impacto de produtos no meio ambiente, compreende os impactos socioambientais do produto, considerando desde a sua extração (matéria-prima), seu processo logístico/produtivo até o descarte final.

Esta análise auxilia na identificação de oportunidades de melhoria nos aspectos ambientais dos produtos nas várias fases do seu ciclo de vida, visando minimizar o uso de itens tóxicos, reduzir o consumo de água e energia, diminuir a geração de resíduos, reduzir os custos dentro do processo, avaliar a utilização de máquinas e equipamentos e ainda gerenciar outras atividades ambientais referentes ao processo industrial, entre outros fatores.

A partir da ACV, poderão ser estabelecidos planos de gestão de emissões (com adequações e melhorais ambientais) e a realização de neutralizações de emissões de carbono.

Realizamos a Avaliação do Ciclo de Vida (ACV) considerando todos os requisitos da ABNT NBR ISO 14064-1.

A precificação de carbono consiste na atribuição de um preço, explícito ou não, sobre as emissões de gases de efeito estufa de determinada instalação, organização ou jurisdição. A designação de um valor monetário a cada unidade de emissão de gases de efeito estufa (GEE) em tCO2 e (toneladas de dióxido de carbono equivalente) corresponde ao envio de um sinal de preços aos tomadores de decisão, desencorajando a adoção de tecnologias carbono-intensivas e incentivando o desenvolvimento de atividades que impliquem redução de emissões de GEE. 

A precificação de carbono está baseada no princípio do poluidor-pagador, que define a responsabilidade e estabelece um custo para as emissões de GEE, internalizando a externalidade negativa. Esse princípio pode ser implementado por meio da taxação das emissões – taxação ou tributação de carbono – ou pelo estabelecimento de mercados de comercialização de emissões (ETS – Emissions Trading Scheme). 

Adicionalmente, a precificação voluntária de carbono permite que recursos sejam alocados para tecnologia de baixo carbono, estimulando, dessa forma, investimentos em pesquisa e desenvolvimento. Além disso, possibilita que companhias possam aprimorar processos de gestão de riscos financeiros relacionados às mudanças de clima.

Fonte: CEBDS – Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável

Para garantir um processo produtivo responsável, é necessária a adequada contração e acompanhamento de fornecedores, em conformidade com as normas e políticas da empresa e legislações vigentes.

Ajudamos na implementação Sistema de Gestão Ambiental baseado na norma ISO 14001, por meio de diagnóstico e levantamento de aspectos e impactos ambientais, objetivos e metas, além de treinamentos e elaboração de políticas e procedimentos.

Avaliamos e orientamos sua organização à legislação vigente e aos regulamentos aplicáveis. Verificamos os principais aspectos relacionados à gestão ambiental, social, saúde e segurança da organização. A importância desse estudo está associada à adequação das práticas corporativas, evitando eventuais responsabilizações civil, administrativa e criminal relacionadas a danos causados ao meio ambiente pelas atividades realizadas pela organização.

O compliance ambiental refere-se a um dos tipos de compliance, sendo visto como um dos componentes da Governança Corporativa, prevenindo multas ambientais, infrações e processos administrativos e judiciais.

Avaliamos a conformidade legal em conjunto aos aspectos ambientais — antes da aquisição —, a fim de identificar possíveis deficiências e situações que representem potenciais riscos e custos significativos para a organização. Analisamos todo o passivo ambiental da empresa, suas devidas responsabilidades ambientais efetivas e potenciais.

A sustentabilidade empresarial é o conjunto de políticas e ações, economicamente sustentáveis e socialmente responsáveis, aplicadas às operações e produtos de uma empresa. A sustentabilidade empresarial ajuda a empresa a se posicionar positivamente perante seu público consumidor.

Por isso, avaliamos as ações e projetos da sua empresa e a ajudamos a definir sua melhor Política de Sustentabilidade.

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) foram instituídos pela Organização das Nações Unidas (ONU), visando garantir que todas as pessoas tenham dignidade. A intenção foi produzir um conjunto de propósitos que conduzissem os governos, empresas e sociedades para um mundo mais sustentável e inclusivo.

Ao todo, são 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) que servem comouma orientação para os países superarem os desafios ambientais, políticos e econômicos mais urgentes. São eles: 1 – Erradicação da Pobreza; 2 – Fome Zero e Agricultura Sustentável; 3 – Saúde e Bem-Estar; 4 – Educação de Qualidade; 5 – Igualdade de Gênero; 6 – Água Potável e Saneamento; 7 – Energia Limpa e Acessível; 8 – Trabalho Decente e Crescimento Econômico; 9 – Indústria, Inovação e Infraestrutura; 10 – Redução das Desigualdades; 11 – Cidades e Comunidades Sustentáveis; 12 – Consumo e Produção Responsáveis; 13 – Ação Contra a Mudança Global do Clima ; 14 – Vida na Água; 15 – Vida Terrestre; 16 – Paz, Justiça e Instituições Eficazes e 17 – Parcerias e Meios de Implementação.

As organizações possuem um cenário essencial na consolidação, sustentabilidade e cumprimento de todos os ODS. Conte com a gente para auxiliá-los na implementação, avaliação e integração dos ODS na Política de Sustentabilidade da sua organização.

O conceito de eficiência energética está ligado ao uso racional de energia, que consiste em obter o melhor serviço com o menor custo. Podemos auxiliar sua organização a implantar tecnologias que promovam a redução do consumo de energia e o aumento de eficiência energética.

Os Princípios do Equador são um conjunto de critérios socioambientais de adoção voluntária por instituições financeiras em nível mundial, referenciados nos Padrões de Desempenho sobre Sustentabilidade Socioambiental da International Finance Corporation (IFC) e nas Diretrizes de Meio Ambiente, Saúde e Segurança do Grupo Banco Mundial.

Eles são aplicáveis na análise da solicitação de produtos financeiros, quando estes forem utilizados para dar apoio a um novo projeto de investimento.

Os Princípios versam sobre avaliações ambientais, proteção a habitats naturais, gerenciamento de pragas, segurança de barragens, populações indígenas, reassentamento involuntário de populações, propriedade cultural, trabalho infantil, forçado ou escravo, projetos em águas internacionais e saúde e segurança no trabalho.

A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) implementada no Brasil objetiva a prevenção e a redução da geração de resíduos, tendo como proposta a prática de hábitos de consumo sustentável e um conjunto de instrumentos para propiciar o aumento da reciclagem e reutilização dos resíduos sólidos (aquilo que tem valor econômico e pode ser reciclado ou reaproveitado) e a destinação ambientalmente adequada dos rejeitos (aquilo que não pode ser reciclado ou reutilizado).

A PNRS também estabelece a obrigatoriedade da elaboração de Planos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS), Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde (PGRSS) e Plano de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil (PGRCC) pelos geradores de diversas tipologias de resíduos, tais como os gerados por processos produtivos, construção civil, resíduos perigosos entre outros.

O que dizem os clientes sobre o nosso serviço:

Por que escolher o nosso serviço

Nós, da GreenView, garantimos uma representação eficaz e abrangente para o seu negócio. Nossa história, reputação e clientes falam por si.

Orgulhamo-nos de ajudar as empresas, sejam grandes ou pequenas, que simplesmente precisam saber como proceder no mercado atual, atendendo às legislações ambientais e aos preceitos de sustentabilidade que a sociedade reivindica cada vez mais.

Agilidade

Aliada ao nosso planejamento e gestão, a tecnologia permite-nos entregar soluções com rapidez e qualidade.

Assertividade

Somos assertivos no que fazemos pois visamos, acima de tudo, o sucesso de nossos clientes.

Foco no Cliente

Todos os nossos processos são focados nos objetivos de nossos clientes.

Diversidade

Servimos uma vasta gama de clientes, e cada relacionamento é muito valorizado por nós.

Cautela

Atuamos com gerenciamento de riscos, com a adoção de melhores práticas para a gestão dos limites aceitáveis de risco.

Expertise

Nossos profissionais possuem grande expertise adquirida em anos de trabalho no mercado ambiental.

Agende uma Ligação!

Preencha o formulário ao lado. Nós entraremos em contato para falar sobre como podemos lhe auxiliar:

SE PREFERIR LIGUE:

+55 (11) 4810-5696

MANDE-NOS UM EMAIL:

[email protected]

ENDEREÇO:

Alameda Santos, 415
10º andar - São Paulo/SP